Marinhas : arqueologia da morte

Há anos o fotógrafo Orlando Azevedo (1949) produz Marinhas, denominadas arqueologia da morte, em que animais mortos e objetos em deterioração são recolhidos como "náufragos da existência", como define o próprio autor. Trata-se de um olhar da morte como "a grande viagem da passagem e da vida", na qual a fotografia, em um resgate da memória, promove a ressurreição da extinção.

(FONTE: a publicação)

Identificação
Título
Marinhas
Subtítulo
arqueologia da morte
Tipo de Publicação
Cidade de Edição
Estado de Edição
País de Edição
Editora
Ano de publicação
2010
Número de Páginas
88 p.
ISBN / ISSN
9788560638161
Idioma
Ficha Técnica
Autoria (Fotografia)
Autoria (Texto)
Projeto Gráfico
Forma Física
Largura (cm)
15
Altura (cm)
15
Tipo de capa
Dura
Tipo de encadernação
Brochura
Conteúdos
Notas de exposição

Catálogo da exposição realizada no Museu Oscar Niemeyer, em Curitiba, de 19 de agosto a 28 de novembro de 2010.

Notas de idioma

Textos em português e inglês.

Assuntos Fotográficos
Assuntos Gerais
A+
A-