Alagoas de Pierre Fatumbi Verger

Duas breves passagens pelo Estado de Alagoas não impediram Verger de registar a cultura, a poesia de seu povo e o dinamismo industrial que iniciava naquela região. A primeira vez, em 1947, quando Pierre Verger, seguindo os conselhos de seu amigo, Roger Bastide, iniciava uma viagem para conhecer o Norte e Nordeste do Brasil e seus aspectos populares, culturais e religiosos.

A segunda passagem de Verger por Alagoas acontece em 1951. Ele tem como companheiros de viagem o pintor argentino Carybé e o escultor baiano Mário Cravo Neto dono do jipe que os levou à aventura. Neste retorno às terras alagoanas, os amigos chegam a Paulo Afonso, onde Verger registra em um dia, a construção da barragem da Hidrelétrica Paulo Afonso e a vida social dos operários.

Contudo, é na cidade de Penedo que a atenção de Verger é atraída e ele enfoca a cultura e a sociedade local com seus pescadores, canoeiros, tropeiros, lavadeiras, artesãs, vaqueiros e sertanejos. Também não ficaram de fora desses registros o rio e suas embarcações, a travessia das canoas ligando Alagoas e Sergipe. Enfim, cenas que ajudam a resgatar a história do lugar nos meados do século passado.

(FONTE: site da Fundação Pierre Verger)

Identificação
Título
Alagoas de Pierre Fatumbi Verger
Tipo de Publicação
Cidade de Edição
Estado de Edição
País de Edição
Editora
Ano de publicação
2010
Número de Páginas
128 p.
ISBN / ISSN
9788563055064
Idioma
Ficha Técnica
Autoria (Fotografia)
Autoria (Texto)
Organização
Design (Projeto Gráfico)
Impressão (Gráfica Principal)
Forma Física
Largura (cm)
27
Altura (cm)
27
Tipo de capa
Dura
Tipo de encadernação
Brochura
Conteúdos
Assuntos Fotográficos
Assuntos Gerais
URL
Localização do item
Acervo Consultado
A+
A-