Querido diário, arremesse-me fora daqui

É possível definir seu lugar no mundo? É possível habitá-lo? e se formos desalojados, o que aconteceria? Se alguém fosse expulso da sua morada interna, onde estaria então esta pessoa?

Querido diário, arremesse-me fora daqui, de Pedro Jamal Campanha, é um livro que busca esta perspectiva externa numa série de procedimentos, cujos resultados são apresentados em justaposição. Em seus diagramas e poemas o artista exterioriza a sua concepção do mundo, ao passo em que deixa explícito o processo de tentativa e erro envolvido na elaboração desta. Seus desenhos e fotografias representam objetos do cotidiano (cadeiras..), objetos encontrados (peixes mortos, cordas..) e retratos de pessoas próximas: sinais, presságios, revelações, trombadas. Diria-se que os objetos representados no livro assumem vida própria, desafiando a própria tentativa de unificação embutida no desejo de entendimento sistêmico a que se propõe o artista. Cortes, veladuras e outros gestos visíveis, resquícios da elaboração destas imagens, lembram-nos da fragilidade da empreitada que é um remendo senão reconstrução da realidade – pelos seus signos.

(FONTE: site da editora)

Identificação
Título
Querido diário, arremesse-me fora daqui
Tipo de Publicação
Cidade de Edição
Estado de Edição
País de Edição
Editora
Ano de publicação
2016
Número de Páginas
1 vol. não paginado
Idioma
Ficha Técnica
Outros
Forma Física
Largura (cm)
26
Altura (cm)
20
Tiragem
100
Tipo de capa
Dura
Tipo de impressão
Indigo
Tipo de encadernação
Brochura
Conteúdos
Assuntos Fotográficos
Assuntos Gerais
URL
A+
A-