Miguel Rio Branco : nada levarei qundo morrer

Trata-se da segunda exposição do artista no museu, quase 40 anos após sua primeira individual, Negativo Sujo, em 1978. Agora com uma seleção de 61 fotografias da famosa série Maciel, realizada no bairro homônimo, na região do Pelourinho, em Salvador, que o artista frequentou durante seis meses, em 1979. O título da mostra origina-se da sentença “Nada levarei quando morrer, aqueles que me devem cobrarei no inferno”, que ocupa o centro da composição de uma das obras. A fotografia, que abre a mostra, dá o tom da seleção dos demais trabalhos expostos na sala. Cenas de ambientes públicos e privados, como prostíbulos, bares, calçadas e quartos, de personagens que vivem e convivem em uma área estigmatizada e marginalizada pela prostituição, pobreza e criminalidade.

(FONTE: site da editora)

Identificação
Título
Miguel Rio Branco
Subtítulo
nada levarei qundo morrer
Tipo de Publicação
Cidade de Edição
Estado de Edição
País de Edição
Editora
Ano de publicação
2017
Número de Páginas
208 p.
ISBN / ISSN
9788531000287
Idioma
Ficha Técnica
Autoria (Fotografia)
Autoria (Texto)
Design (Projeto Gráfico)
Impressão (Gráfica Principal)
Outros
Forma Física
Largura (cm)
19
Altura (cm)
25
Tiragem
1.000
Tipo de capa
Dura
Tipo de Papel
Eurobulk 135g/m2
Tipo de encadernação
Brochura
Conteúdos
Notas de exposição

Exposição realizada em São Paulo, no MASP, de 30/06 a 01/10 de 2017.

Assuntos Fotográficos
Assuntos Gerais
URL
A+
A-