Nadir

Realizadas entre 2009 e 2012, as fotografias do ensaio NADIR dialogam não propriamente com um tema, mas com uma metáfora: a de NADIR, ponto de referência da astronomia que indica o lugar exatamente oposto ao Zênite. NADIR constitui portanto um ponto variável, dado pelo observador ao olhar não para o céu, mas para o interior da Terra. As imagens do livro se referem a processos aproximação com a terra, não excluindo, pela presença de um denso contraste, o que da metáfora decorre em termos de melancolia, escuridão, peso, e “morte” – o tombamento da matéria em virtude de sua não resistência à gravidade. De fato, várias experiências – sobretudo de perda e de luto – fundamentaram a base na qual essas fotografias surgiriam. Na edição, no entanto, as imagens não figuram como documentos dessas experiências, mas índices da relação com o “espaço” e do pertencimento à terra enquanto matéria efêmera. Textos ou legendas não figuram no livro, somente a definição do título.

(FONTE: site da Livraria Madalena)

Identificação
Título
Nadir
Tipo de Publicação
Cidade de Edição
Estado de Edição
País de Edição
Editora
Ano de publicação
2013
Número da Edição
2. ed.
Número de Páginas
40 p.
ISBN / ISSN
9788565743044
Idioma
Ficha Técnica
Autoria (Fotografia)
Forma Física
Largura (cm)
14
Altura (cm)
22
Tipo de capa
Dura com sobrecapa
Tipo de encadernação
Brochura
Conteúdos
Notas de idioma

Textos em português e inglês.

Assuntos Fotográficos
Assuntos Gerais
A+
A-