Não há tempo – É tudo erosão

concepção Douglas Garcia e Marina Oruê

A publicação propõe uma breve leitura partindo da ideia de um tempo naturalizado como único, o "tempo abstrato das máquinas" em contraste com os processos erosivos e sedimentares que apontam para o "tempo geológico".

As imagens fotográficas de rochas que compõem o ensaio visual da publicação foram editadas para serem submetidas a um processo de impressão específico, com a aplicação de retículas e saturação, a fim de criar indícios de camadas e aludir ao "tempo geológico". As fotos, a pesquisa e a edição de imagens são de Douglas Garcia.

O ensaio sobre o "tempo abstrato das máquinas" foi escrito pelo artista visual Daniel Jablonski a convite da Edições Membrana. O projeto gráfico de Marina Oruê, elaborado a partir do título da publicação, explora o uso das letras em português e inglês, evidenciado por camadas gráficas que sugerem relações de entrelaçamento e simultaneidade entre as páginas.

(FONTE: a editora)


Identificação
Título
Não há tempo – É tudo erosão
Titulo equivalente
There is no time – It’s all erosion
Tipo de Publicação
Cidade de Edição
Estado de Edição
País de Edição
Editora
Ano de publicação
2021
Número de Páginas
56 p.
Idioma
Ficha Técnica
Autoria (Fotografia)
Autoria (Texto)
Projeto Gráfico
Impressão
Outros
Forma Física
Largura (cm)
13
Altura (cm)
18,5
Tiragem
100
Tipo de capa
Flexível
Tipo de impressão
Risografia
Tipo de encadernação
Canoa com costura
Conteúdos
Notas de idioma

Edição bilíngue em português e inglês.

Assuntos Fotográficos
Assuntos Gerais
Referências Externas
URL
A+
A-