Mitos enredados

concepção e ilustrações Angela Almeida

[Nesta publicação, a autora] embrenha-se na esfuziante trama mítica presente em O livro dos seres imaginários, de Jorge Luis Borges, intitulada O figurável da escrita; em Geografia dos mitos brasileiros, de Luís da Câmara Cascudo, nominada Saberes nômades; e nos três primeiros volumes de Mítológicas – O cru e o cozido, Do mel às cinzas, A origem das maneiras à mesa –, de Claude Lévi-Strauss, rousseaunianamente intitulado Os bons selvagens. Ao todo, são quarenta e nove mitogramas, fragmentos das narrativas originais. Em Os bons selvagens, os mitos selecionados incluem a numeração original dada pelo autor ao longo dos três volumes. Relê-los integralmente, ou simplesmente escutá-los pela voz do outro, pode servir de lenitivo para tempos líquidos insignificantes.

Em seguida, o Fantasioso relê fotografias de Boris Kossoy em sua Viagem pelo fantástico e, ao final, dez desenhos da autora com seus misteriosos bordados, curiosamente intitulado Enredar (desenhos), esgarçam significantes e produzem uma emoção estética sem precedentes, que serve de tessitura para os capítulos anteriores. São fios que aos poucos se reúnem, como a urdidura dos teares tradicionais. (...)

(FONTE: a publicação)

Identificação
Título
Mitos enredados
Tipo de Publicação
Cidade de Edição
Estado de Edição
País de Edição
Editora
Ano de publicação
2020
Número de Páginas
144 p.
ISBN / ISSN
9786555690040
Idioma
Ficha Técnica
Projeto Gráfico
Outros
Forma Física
Largura (cm)
19
Altura (cm)
25
Tipo de capa
Flexível
Tipo de encadernação
Folhas soltas coladas
Conteúdos
Notas de Conteúdo

Contém apresentação de Edgard de Assis Carvalho.

Contém textos de Jorge Luis Borges, Luiz da Câmara Cascudo e Claude Lévi-Strauss.

Assuntos Fotográficos
Assuntos Gerais
Referências Externas
URL
A+
A-