Para onde vão os sonhos quando eles terminam?

Temos uma relação problemática com os sonhos. Para uns são prenúncios do futuro ou a voz dos deuses. Para outros uma alternativa ao presente. Penso, no entanto, que os sonhos são o modo pelo qual o nosso cérebro lida com a realidade, descarregando a memória imediata para um rincão do inconsciente que gestará, em futuros não sabidos, tanto os atos falhos como o déjà-vu. Em síntese, sonhos não se vão, ficam encarnados em algum lugar da subjetividade. E nunca, como nesses tempos pandêmicos, precisamos tanto dos sonhos. A realidade imediata que nos cerca, em particular a tanatopolítica que nos governa, exige um alívio do real. Assim, as imagens que compõem este livreto buscam criar esse alívio, na medida em que evocam, em graus variados, diversas imagéticas associadas aos sonhos. (...) Para onde vão os sonhos quando eles acabam? Eles não vão, ficam conosco, ensinando-nos, como o provam as fotografias, que o mundo não é feio, só mal frequentado. 

(FONTE: a publicação)

Identificação
Título
Para onde vão os sonhos quando eles terminam?
Tipo de Publicação
Cidade de Edição
Estado de Edição
País de Edição
Editora
Ano de publicação
2021
Número de Páginas
58 p.
ISBN / ISSN
9786558542360
Idioma
Ficha Técnica
Autoria (Fotografia)
Conteúdos
Assuntos Fotográficos
Assuntos Gerais
Referências Externas
URL
A+
A-