Capa do livro

Pequenino atlas do desafino : um ensaio surreal-esquizofotoanalítico

O legado do Atlas Mnemosyne para as artes visuais, de Aby Warburg, tal como um arranjo-constelação de imagens e pensamentos, perpetua uma cartografia de afetos e de desejos, referências adotadas num painel semântico mental pelo arquiteto e urbanista Carlos Nigro, um fotógrafo errante que lança o seu mais novo ensaio literário-visual e, assim, provoca a percepção e a leitura do oculto e da complexidade da cidade, bem como convida a participação de uma vida de modo mais criativo e libertário, nômade, sob uma narrativa surreal-esquizoanalista: devir.

Política, sociedade, filosofia, arquitetura e urbanismo, teatro, cinema, fotografia, poesia, música, desenho, pintura e escultura tornam-se um emaranhado de conceitos, encontro escrito pelo automatismo psíquico através de uma deriva imaginária, sentida por tantas outras perambulações quase que diárias, hábito que o autor cultua desde a sua infância e adolescência paulistana, e que fazem o lugar singular da surrealidade da sua fotografia, pela intuição e pela crítica, o que se deve chamar de arte marginal ou maldita, caracterizada pela diferenciação dos potentes desafinos às normas opressoras: acontecimento. 

(FONTE: o autor)

Identificação
Título
Pequenino atlas do desafino
Subtítulo
um ensaio surreal-esquizofotoanalítico
Tipo de Publicação
Cidade de Edição
Estado de Edição
País de Edição
Editora
Ano de publicação
2021
Número de Páginas
120 p.
ISBN / ISSN
9786599255243
Idioma
Ficha Técnica
Autoria (Fotografia)
Autoria (Texto)
Projeto Gráfico
Impressão
Forma Física
Largura (cm)
11,5
Altura (cm)
15,5
Tiragem
Sob demanda
Tipo de capa
Flexível com sobrecapa
Tipo de Papel
Cartão Supremo 250g/m2 Capa Offset 90g/m2 Miolo
Tipo de impressão
Offset digital
Tipo de encadernação
Folhas soltas coladas
Conteúdos
Assuntos Fotográficos
Referências Externas
URL
A+
A-