A página violada : da ternura à injúria na construção do livro de artista

O livro de artista é um produto da arte contemporânea, construído deliberadamente a partir de um suporte preexistente, o livro, que é o seu protótipo, e ao qual louva ou faz contraposição crítica. A página e a estrutura podem ser enaltecidas ou sofrer todas as possibilidades de injúria e objeção, até alcançarem o estatuto da escultura e abandonarem a condição objetiva de livro. A página violada, de Paulo Silveira, propõe que as gradações percebidas não só podem como devem ser instrumentos da conceitualização e caracterização da obra e da categoria na qual ela se insere, desde certos exemplares do livro ilustrado até todo e qualquer livro-objeto. São apresentadas cerca de duzentas obras através de mais de seiscentas imagens, que também incluem eventos e documentos, a maioria delas coloridas e originais para este trabalho.

(FONTE: site Internet Archive)

Identificação
Título
A página violada
Subtítulo
da ternura à injúria na construção do livro de artista
Tipo de Publicação
Cidade de Edição
Estado de Edição
País de Edição
Editora
Ano de publicação
2008
Número da Edição
2. ed.
Número de Páginas
319 p.
ISBN / ISSN
9788570259875
Idioma
Ficha Técnica
Autoria (Texto)
Projeto Gráfico
Impressão
Forma Física
Largura (cm)
17,5
Altura (cm)
25
Tipo de capa
Flexível
Tipo de encadernação
Brochura
Conteúdos
Notas gerais

Outras edições:
1. ed.: 2001
2. ed.: 2008
2. ed. (versão digital): 2016 (com adaptação de caracteres tipográficos e incorporação de errata) 

Notas de Conteúdo

Inclui entrevistas com Anne Moeglin-Delcroix, Iolanda Gollo Mazzotti, Lenir de Miranda, Neide Dias de Sá, Vera Chaves Barcellos, Wlademir Dias Pino.

Inclui textos avulsos de Enzo Miglietta e Paulo Bruscky.

Assuntos Gerais
Referências Externas
URL
A+
A-