O lago do esquecimento

O rosto de concreto é a tradução do regime autoritário que, na década de 1970, deu início à construção da quarta maior hidrelétrica do mundo: Tucuruí. E ninguém pode imaginar que ao atravessar o túnel de acesso ao lago de mais de 3 mil quilômetros quadrados, formado pelo represamento das águas do rio Tocantins, está cruzando com a energia de, aproximadamente, 45 trilhões de litros d’água.

Mas, ao tomar a barca e iniciar essa viagem, as cifras gigantes se materializam na paisagem fossilizada e estranhamente poderosa das árvores que silenciosamente revelam os restos das florestas, dos animais, das cidades, das tribos indígenas e das histórias afogadas nesse lago de esquecimentos. Lá, invisíveis, estão mais de seis mil pessoas que vivem no topo das mais de mil ilhas formadas pelo represamento das águas ao longo de 270 quilômetros quadrados de território paraense.

(FONTE: site da autora)

Identificação
Título
O lago do esquecimento
Tipo de Publicação
Cidade de Edição
Estado de Edição
País de Edição
Editora
Ano de publicação
2013
Número de Páginas
72 p.
ISBN / ISSN
9788591579105
Idioma
Ficha Técnica
Autoria (Fotografia)
Autoria (Texto)
Design (Projeto Gráfico)
Impressão (Gráfica Principal)
Forma Física
Tiragem
500
Conteúdos
Notas gerais

Projeto contemplado pelo XII Prêmio Funarte Marc Ferrez de Fotografia.

Assuntos Fotográficos
Assuntos Gerais
URL
A+
A-